Boca de Cão
Toque de caixa.jpg
Agostinho e Felicidade.jpg

A Boca de Cão é uma companhia de Teatro de Rua e Formas Animadas e surge do amor às artes plásticas e ao teatro de rua, iniciando o seu percurso com o espetáculo de marionetas humanas "Agostinho e Felicidade" em 2013. O nome Boca do Cão vem de uma flor, vulgarmente chamada boquinha de cão, boca do lobo, ou boca de leão, que tem a  particularidade de abrir e fechar como uma boca sempre que se aperta lateralmente. Um movimento que é também uma metáfora sobre os mecanismos da marioneta.
Da vontade de continuar a apresentar criações específicas para a rua e de desenvolver um universo próprio de fusão da estética tradicional com a contemporaneidade, Hugo Ribeiro e Muni Joana Domingos fundam a companhia em 2015, no Festival Mar Marionetas de Espinho onde estreiam os em 2017 o  "Toque de Caixa", que estarão nesta edição do Passa a Palavra. 

Agostinho e Felicidade – Os Velhinhos Mais Simpáticos do Mundo partem da sua aldeia estimada após a colheita de flores e plantas medicinais. São  trocadores ambulantes andam de terra em terra a trocar o que colhem pelo que vão precisar, e pelo caminho vão interagindo com o público de forma inesperada, transmitindo ternura, sabedoria e esperança. 
Um espetáculo de rua deambulante - 45 min. Marionetas humanas. Todas as idades. Criação e interpretação: Hugo Ribeiro e Muni Joana Domingos.


Toque de Caixa - um concerto hilariante  é um espetáculo de rua para todas as idades, inspirado nos antigos tocadores de realejo e músicos e onde marionetas humanas transportam uma mágica caixa de sons e seus variados êxitos. Está na hora, o espetáculo vai começar! - 30m . Marionetas Humanas.
Criação e interpretação: Hugo Ribeiro e Muni Joana Domingos.

Hugo Ribeiro é cenógrafo freelancer, trabalha na criação plástica e interpretação da companhia "Boca de Cão – teatro de rua e formas animadas", onde desenvolve projetos de criação e experimentação de novas formas animadas.Como designer de Cenografia trabalhou com companhias como Erva Daninha, Radar 360º, Teatro do Frio, PELE, Teatro e Marionetas de Mandrágora e Comédias do Minho entre outras.
Foi também diretor de Cenografia da Queima do Judas de Vila do Conde de 2013 a 2016, e professor assistente de cenografia na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto) de 2013 a 2016.

Muni Joana Domingos
Formada em Animação e Produção Cultural pela ESAP – Escola Superior Artística do Porto, está ligada ao mundo das artes desde a adolescência onde iniciou a sua formação em teatro de rua e artes circenses. Aprofundou conhecimentos dentro destas áreas, bem como em ecologia e Naturopatia, durante os anos que residiu em Barcelona, onde frequentou a Escuela de Circo Rogelio Rivel. Desde 2009, após o seu regresso a Portugal, colaborou com várias estruturas criando espetáculos e formações. Tem formação em áreas artísticas como Comédia Dell ‘Arte (Fabrizio Paladin), Dança Tradicional Africana (Allatantou Dance Company), Clown no Clown Laboratori Porto, Teatro de Rua e Marionetas, tendo formação com Juliette Prillard, Marcelo La Fontana,Jordi Bertrand, Tommy Luther, Filipa Mesquita, Clara Ribeiro e enVide neFelibata. Desde 2013 dedica-se exclusivamente às artes performativas e marionetas com os projetos da sua companhia Boca de Cão, e em colaboração com outras companhias como Teatro e
Marionetas de Mandrágora e Radar 360º.