Paula Delecave
Paula Delecave.png

Nasceu no Rio de Janeiro (1975) e reside em Lisboa. É ilustradora, designer e atriz. Utiliza a colagem como linguagem gráfica.  Licenciada em Comunicação Visual na Pontifícia Universidade Católica (PUC), em Teatro na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), ambas no Rio de Janeiro e pós-graduada em Livro Infantil, Pontifícia Universidade Católica, Lisboa. 

Ilustrou os livros O Avô tem uma borracha na cabeça (Porto Editora, 2020), Que aventura ser Matilde (Associação Pais em Rede, 2015), Lisboa, ambos com texto de Rui Zink e Quando João ficou sem palavras, de Ana Helena Rotta Soares (Ed. Memória Visual, 2017), Rio de Janeiro.  O seu trabalho na exposição Favelité (Ano do Brasil na França 2005) - mostra panorama sobre a favela na estação RER Luxemburgo (Paris) - ganhou menção honrosa na Bienal de Design Gráfico, 2008 (São Paulo).

Como designer, desenvolveu parceria com Rara Dias e Ana Carolina Carneiro na Zot Design, especializada na publicação de livros de artistas plásticos como Waltercio Caldas, Antonio Dias, Iole de Freitas, Ernesto Neto entre outros. A Zot foi premiada, no Brasil, com o Prêmio Jabuti 2010 e Associação de Designers Gráficos 2015. 

Formada em teatro, atuou como atriz, cenógrafa e assistente de direção em performances no Rio, São Paulo e Lisboa. Dentre elas destaca-se a A ilha desconhecida, performance baseada no Conto da Ilha desconhecida de José Saramago, direção Celina Sodré (1999), apresentada a Saramago e Pilar del Rio, na sede da Companhia de Sodré, o Studio Stanislavski e na IX Bienal Internacional do livro no Rio de Janeiro. 

Desenvolveu, em parceria com António Jorge Gonçalves, em Portugal, os espetáculos Frutoscópio e O convidador de Pirilampos, a partir do livro de Ondjaki, apresentado em diversos teatros em Portugal. Realiza regularmente oficinas de colagem (construção de livros de memórias) a partir do trabalho realizado no livro O Avô tem uma borracha na cabeça, para famílias e escolas em Portugal e no Rio de Janeiro.


Construção Livro de Memórias - Oficina de expressão artística


Sinopse/Descrição da Atividade:
Qual a memória de que mais gostas?
Quem é a pessoa mais antiga da tua família?
Existem cheiros, sabores ou toques que te levem imediatamente a uma memória?

Associada à exposição, a artista realiza oficinas presenciais onde propõe um jogo de recombinação plástica das fotos de família onde estimula a imaginação de cada criança e a incentiva a experimentar um olhar diferente sobre esses instantâneos de memória. Recortar, retirar pedaços, combinar vários braços e abraços. Vale tudo para recriarmos novos personagens a partir destas fotos.

Essa oficina tem como proposta a construção de um livro de memórias.
Ele será composto por desenhos, colagens e fotografia (cada um traz a sua!) feitos durante a oficina em atividades que giram à volta das nossas memórias, como se fossemos descobridores ou pudéssemos viajar num foguetão do tempo.

Paula Delecave, ilustradora do  livro “O avô tem uma borracha na cabeça” (texto de Rui Zink / Porto Editora, 2020), traz a linguagem da colagem e o imaginário do livro - memória e esquecimento - para esta oficina onde viajamos por diferentes épocas sem sair do mesmo lugar.